SÃO CAETANO DO SUL

Experiência Brasil pretende percorrer as cidades, vilarejos e recantos do imenso território em que mora essa gente de verdade. Ir até lá, registrar as histórias, os causos, a gestualidade, as crenças, o modo como enxergam a realidade e como se entendem dentro desse território chamado Brasil.

SÃO CAETANO DO SUL, UMA CIDADE HISTÓRICA, e das mais importantes entre os satélites da “Grande São Paulo”. Hoje, uma cidade que detém o título de metrópole de primeiro mundo e se destaca entre muitas das cidades do Brasil. Seu sistema de Saúde, Educação, Cultura, Segurança, Entretenimento e Esporte são modelo de civilidade. A história da região está estreitamente conectada aos indígenas e ao descobrimento de nosso país pelos europeus.

APRESENTAÇÃO


Antes do século XVI, a região era um território indígena de nome “Tijucussu”, “Grande Lamaçal” em tupi-guarani, pois era rica em argila. Ela pertencia a outro território indígena maior, o “Inhãbãpuassu”, sem tradução, que era praticamente o ABC Paulista, e essa área, assim como a maioria do Grande ABC, fora conhecida no início como “Vila de Santo André”, que depois se chamaria “Santo André da Borda do Campo”. Após o decreto do governador-geral Mem de Sá, a “Vila de Santo André” foi transferida junto com os jesuítas para São Paulo. Esse território de São Caetano era habitado por indígenas de linhagem tupi, que inclusive usavam seus rios para navegação comercial e transporte de pessoas.

As terras eram de propriedade dos bandeirantes que no século XVII migraram de São Paulo para o Vale do Paraíba, região de Taubaté e Mogi das Cruzes. As terras deixadas foram doadas por Dom Duarte e, depois, por Fernão Dias Paes Leme ao Mosteiro de São Bento, gérmen do que viria a ser a cidade. Assim surgiu a “Fazenda Tijucussu”, mais tarde “Fazenda São Caetano”, nome dado pelos beneditinos em homenagem a São Caetano di Thiène. Importante salientar que junto com os beneditinos vieram escravos negros e indígenas de outras localidades, como os Bororo e Pareci do Mato Grosso.

No século XIX, com a libertação dos escravos, o governo do Império fundou na região uma colônia de imigrantes italianos, mais tarde habitada por fazendeiros, tropeiros e carreiros que trabalhavam no transporte de mercadorias entre o porto e o planalto. A cidade, como município, é fundada pouco antes da Proclamação da República, e as primeiras indústrias chegam no início do século XX. Seus moradores, inclusive alguns imigrantes como os Matarazzo, foram indispensáveis para a formação da cidade como hoje a conhecemos, ajudando em sua independência e autonomia.

JUSTIFICATIVA


COM A INTENÇÃO DE VALORIZAR A HISTÓRIA da cidade e seus múltiplos desdobramentos, levando aos seus cidadãos e aos leitores em geral os detalhes de sua origem e jornada até os dias atuais, percebemos a necessidade de um livro que a revele em detalhes mais profundos de cada grupo social que fez parte de sua formação.

Imaginamos que essa obra possa resgatar as origens e fortalecer as raízes de São Caetano do Sul (SCS), assim como se tornar um cartão de visita precioso para a cidade. Esta será a primeira obra do projeto Experiência Brasil, que pretende trilhar os cantos mais pitorescos e significativos do Brasil em busca do caráter, da cor e dos costumes da sua gente.

O livro será dividido em quatro partes: indígena, imperial, colonial e moderna, e conterá rico material fotográfico, pinturas e ilustrações de São Caetano do Sul, assim como uma narrativa que remontará à história antes mesmo de sua fundação, chegando aos dias atuais.

Para que tenhamos uma ideia, a estimativa de presença humana no ABC Paulista, onde SCS está inserida, é de no mínimo 800 anos. Existem também registros de presença humana, por exemplo, dos séculos XV e XVI, na divisa de São Caetano do Sul com a capital do estado, em locais que hoje conhecemos como Bairro São José e Jardim Patente.

O Esporte, a Arte, a Gastronomia, a Política e a Economia serão os principais tópicos abordados nesta obra. Os jogos indígenas, seus adornos, alimentação e rituais; a culinária, a dança e a luta negra; as celebrações e a importância política dos imigrantes italianos, assim como da moderna SCS, cidade modelo do Brasil, economicamente pujante e símbolo do esporte internacional de projeção olímpica.

O texto será escrito por Roberto Causo, a partir da entrevista com o historiador José de Souza Martins, o arquiteto e museólogo Julio Abe Wakahara, a historiadora Cristina Toledo e o indigenista Marcos Aguiar, além de depoimentos de personalidades de destaque que fizeram e fazem parte do desenvolvimento da cidade.

EDITORIAL

Conheça a equipe editorial.

PREFÁCIO

  • WALTER ESTEVAM JUNIOR

EDITOR

  • TAIRA YUJI

ESCRITOR

  • ROBERTO DE SOUSA CAUSO

JORNALISTAS

  • CRISTIANA VIEIRA
  • ROBERTO FIDELI

NARRATIVA INDÍGENA

  • MARCOS AGUIAR

NARRATIVA IMPERIAL

  • CRISTINA TOLEDO
  • JOSÉ DE SOUZA MARTINS
  • MARCOS AGUIAR

NARRATIVA COLONIAL

  • JOSÉ DE SOUZA MARTINS

NARRATIVA MODERNA

  • JOSÉ DE SOUZA MARTINS
  • CRISTINA TOLEDO
  • MARCOS AGUIAR

PERSONALIDADES

Conheça a todos as personalidades envolvidas.

  • ANDRE BEER
  • DÉSIREE MALATO
  • HETTORI D´ALMAS
  • JAYME TORTORELLO
  • MARIO PORFILHO RODRIGUIES
  • MUSTAPHA ABDOUNI
  • NELSON PERDIGÃO
  • NILTON ALARICO SUHADOLNIK
  • NUNCIATO WALTER ABREU AVANCINI
  • OSWALDO GIAMPIETRO
  • WILLIAM PESINATO
  • PAI RONALDO LINARES
  • GIUSEPPE FERRARI
  • ARMANDO DE ARRUDA PEREIRA
  • BARALDI
  • BRAIDO
  • CAMPANELLA
  • D´ALMAS
  • FIGUEIREDO DE FREITAS
  • FIOROTTI
  • GONÇALVES
  • GRUPOS INDIGENAS
  • GRUPOS NEGROS E QUILOMBOLAS
  • LEANDRINI
  • LORENZONI
  • LOZANO
  • MADONA
  • MARCO ANTONIO FELIX
  • MILANIS
  • MOLINARI
  • MOSCAS
  • OLGA MONTANARI MELO
  • PASTORES
  • ÂNGELO MOLINARI
  • FURLAN
  • RICCI
  • ROSSINIS
  • SAMUEL KLEIN
  • SANTANA
  • SZARAPKAS
  • TELES
  • TOYODA
  • VERONESI
  • ADEMIR MEDICI
  • ANDREIA MIGUEL PINTO
  • BENEDITO PREZIA
  • CRISTINA TOLEDO
  • JOSÉ DE SOUZA MARTINS
  • JULIO ABI WAKAHARA
  • MARCOS AGUIAR
  • ALBANO
  • ADEMIR MEDICI
  • ANDREIA MIGUEL PINTO
  • BENEDITO PREZIA
  • CRISTINA TOLEDO
  • JOSÉ DE SOUZA MARTINS
  • JULIO ABI WAKAHARA
  • MARCOS AGUIAR

CELEBRIDADES

Conheça a todos as celebridades envolvidas.

  • BENTA APONE
  • ALUIR AMANCIO
  • ARTHUR ZANETTI
  • CARLOS AUGUTO STRAZZER
  • CÁSSIA KISS
  • DELCY ELLENDER MARQUES
  • HORTÊNCIA MARCARI
  • LUIS PEREREIRA
  • SIMONE BITTENCOURT
  • VICTOR PECORARO
  • WALTER ESTEVAM JUNIOR

IDEALIZADORES

Conheça a todos os envolvidos.

TAIRA YUJI

DESIGNER e HISTORIADOR, é o fundador e diretor de criação do estúdio NewDreams e da Editora Mojuganide. Estudou e trabalhou por 12 anos com o artista plástico Mario Cafiero e como diretor de arte para empresas internacionais BBC, Blizzard, Logitech, Master Blenders, Nissan, PokerStars e Ryot e Square-Enix, entre outras.

ROBERTO CAUSO

ESCRITOR ALTAMENTE CONCEITUADO nos gêneros de não ficção histórica, ficção cientifica e fantasia. Possui histórias publicadas em onze países e é ganhador do Projeto Nascente (da Universidade de São Paulo). Seu romance Glória Sombria foi finalista do Prêmio Argos, do Clube de Leitores de Ficção Científica. Suas histórias já apareceram em revistas como Dragão Brasil, Isaac Asimov Magazine, Trasgo e Cult.

MARCOS AGUIAR

NASCIDO E MORADOR DE SÃO CAETANO DO SUL; 49 anos; formado Bacharel em Ciência da Computação; bacharel em teologia, casado; indigenista praticante há 21 anos; coordenador autônomo do programa “Índios na Cidade” da ONG Opção Brasil; coordenador autônomo do coletivo EtnoCidade de Campinas; Prêmio Tuxaua do Ministério de Cultura em 2008, considerado também como um dos cinco melhores trabalhos em cultura indígena do Brasil pelo Prêmio Brasil Criativo; observador do Fórum Permanente de Assuntos Indígenas da ONU.

Dúvidas